Uma notícia alarmante chegou essa semana da Agência Internacional de Energia (IEA). Fatih Birol, diretor executivo da IEA, disse que o consumo global de petróleo continuará a crescer até 2040. O fato contraria a proposta do Acordo de Paris, assinado no ano passado.

Birol fez essas observações logo após a publicação do relatório anual World Energy Outlook. O relaório anual da IEA prevê o abastecimento de energia e a demanda para 2040.

O Acordo de Paris espera livrar o mundo dos combustíveis fósseis na segunda metade do século em um esforço para limitar o aumento da temperatura média global para “apenas” 2°C (3,6° F) acima da temperatura em épocas pré-industriais.

Apesar disso, o acordo pode não sobreviver à nova presidência de Trump. O presidente eleito disse que acreditar que o homem é responsável pelas mudanças climáticas é uma “fraude”. Além disso, Trump votou para que os EUA cancelassem a participação no histórico acordo.

O consumo de combustíveis derivados de petróleo pelos automóveis, grandes contribuintes das emissões de gases do efeito estufa, certamente cairá.

Mas, segundo a IEA, essa queda será compensada pelo aumento em outros setores. “A dificuldade em encontrar alternativas para o petróleo em transporte rodoviário de mercadorias, aviação e petroquímicos significa que, até 2040, o crescimento nesses três setores é maior que a redução da demanda global de petróleo para outros usos”, completa a IEA.

No cenário central para 2040, estima-se que a demanda global de petróleo crescerá quase 12%, para 103,5 barris por dia (bpd) em 2040, comparado com 92,5 milhões de bpd em 2015. O consumo de petróleo poderia, entretanto, ter seu pico antes de 2040, ou mesmo antes de 2020, se ações mais rigorosas fossem adotadas, afirma a IEA.

A eficiência energética é parte da solução para a matriz

Birol disse que a era dos combustíveis fósseis parece estar longe de acabar. “Hoje, 81% da energia global vem de combustíveis fósseis. Em 2040, mesmo se todas as promessas forem implementadas, essa parcela cairá apenas para 74%”, ele diz.

A grande questão dos combustíveis fósseis é a geração de energia, pois boa parte da utilização de petróleo e outros combustíveis é para geração. Então, reduzir o consumo é a melhor forma de diminuir a necessidade por petróleo.

Por meio da eficiência energética, é possível atingir os menores níveis de emissões. De quebra, trata-se ainda de uma excelente medida para economizar na conta de energia.

Banner

Fonte: Forbes