Entre os primeiros passos em qualquer novo projeto sustentável é a avaliação do clima local. Quais critérios de desenho ambiental se aplicarão, quais estratégias bioclimáticas serão as mais relevantes, quando serão atingidas as temperaturas mais críticas ao longo do ano?

 

Na medida que as empresas de arquitetura e engenharia passam a trabalhar cada vez mais em regiões longe dos seus escritórios, os profissionais serão contratados para fazer projeto sustentável em lugares que mal conhecem, e simplesmente atualizar o arquivo climático na simulação não será suficiente para realizar uma otimização no projeto. Este é o conceito chave por trás do desenvolvimento e publicação da nova guia do CIBSE*: “Construção em ambientes extremos: Tropical“.

 

Regiões tropicais na África, América Latina e Ásia-Pacífico estão investindo fortemente em construção, e as formas de projetar um ambiente construído cada vez mais complexo são mais importantes que nunca.

Trabalhando de forma colaborativa com membros da CIBSE em regiões tropicais no mundo inteiro, se tornaram claras as semelhanças nos desafios que enfrentamos na luta de criar um ambiente construído mais sustentável. Por isso, no desenvolvimento do guia tratamos de forma detalhada questões como:

  • As diferenças entre edifícios climatizados e os que funcionam em modo misto. Isso impacta suas respostas climáticas e um número importante de critérios do projeto. Dentro de critérios de conforto térmico e modelos adaptativos, o insuflamento de ar em maiores velocidades pode ser uma estratégia importante.
  • O projeto de sombreamento precisa ser repensado em alguns casos, devido à alta proporção da radiação difusa proveniente de céus sombreados e altos níveis de cobertura de nuvens na época de chuva.
  • Altos níveis de umidade e baixas temperaturas de orvalho aumentam a produção de condensado em trocadores de calor.
  • A proteção de superfícies contra a radiação se torna imprescindível; isso pode ser feita com superfícies refletivas ou sombreamento de superfícies horizontais.

 

O guia, que foi publicado este ano, está divida em cinco capítulos:

Introdução: discute considerações climáticas, classificação de climas e dados básicos sobre regiões tropicais.

Informação de projeto: informa sobre os principais critérios de projeto para usuários dos edifícios.

Projeto, construção e materiais: proporciona informação sobre como as climas tropicais impactam em decisões chaves de projeto.

Equipamento: proporciona os engenheiros de sistemas prediais com informações específicas para projetar nestes climas.

Sustentabilidade: unificando os princípios em todos os outros capítulo, é possível proporcionar uma base para projeto sustentável e eficiente nestas regiões.

 

Do meu ponto de vista, foi um grande prazer trabalhar com a equipe da CIBSE e todos os outros voluntários envolvidos na produção desta guia, ao longo dos últimos anos. Esperamos que será uma referência essencial para apoiar engenheiros, arquitetos e consultores na nossa missão para desenvolver edifícios de baixo consumo, sustentáveis e adaptados ao seu entorno.

* CIBSE é uma instituição sediada no Reino Unido, que reúne e representa engenheiros nas disciplinas de sistemas prediais. A organização publica melhores práticas e lidera o desenvolvimento de um novo ambiente construído no contexto de mudanças climáticas. As publicações do CIBSE são gratuitas para membros.