A Geração fotovoltaica e o setor industrial brasileiro

O setor industrial é aquele que mais consome energia no Brasil, mais de 35% do consumo total do país. Como temos uma das tarifas de energia industrial mais caras do mundo, os gestores optam por alternativas que “aparentemente” reduzem o consumo energético, como a geração fotovoltaica.

Dizemos aqui aparentemente entre aspas, pois algumas formas de redução usadas pela indústria são uma grande ilusão. Dentre elas, podemos citar a instalação dos painéis fotovoltaicos para gerar localmente parte da energia utilizada na própria planta.

É bem verdade que eles têm grande apelo, pois estes sistemas geram energia renovável a partir dos raios solares. Ou seja, trata-se de uma fonte muito mais limpa e com impactos ambientais reduzidos em relação as fontes tradicionais.

Eficiência energética e geração de energia

Engana-se quem pensa que apenas ao instalar painéis a eficiência está garantida. Ou que isso de alguma forma pouparia dinheiro. A verdade é que essa tecnologia não promove a eficiência, ainda é cara no Brasil e os períodos de retorno altíssimos. Podem chegar a 20 anos!!!

Principalmente para as indústrias que têm tarifa de energia menor por terem aderido ao mercado de livre energia.

É aí que entra a eficiência energética. Apesar do nome não ser tão chamativo e não ter tanto apelo midiático, a ela é, de longe, a melhor solução para reduzir o gasto com energia na indústria.

Ao implementar medidas que reduzam o consumo, o desperdício é combatido e o gasto com energia cai.

Conclusão

A geração fotovoltaica não é a solução para reduzir a quantidade de energia consumida na indústria. Ela apenas insere mais energia para ser utilizada pelos processos industriais.

A eficiência energética é a única alternativa para economizar energia e deve ser prioridade na gestão energética. Medidas de eficiência têm um retorno muito mais rápido que qualquer oportunidade de geração.

gestao-energetica-mitsidi-ebook